Brazilian Historic Gardens

 

Jardins – vocábulo

Pieter Brueghel, the Younger Tela PrimaveraO vocábulo jardim, variação do francês jardin e do latim hortus gardinus, “horto, plantação de flores, legumes, verduras, protegida por cerca”, recebeu etimologicamente diferentes significados, a partir do século X, conforme se observa ao pesquisar dicionários de variadas épocas. Há uma linha que perpassa estas definições que relaciona jardim a local onde se cultivam flores e plantas ornamentais, árvores frutíferas, legumes, hortaliças, plantas medicinais e outros vegetais comestíveis. Normalmente, jardim é um lugar cercado e de uso restrito, ou seja, espaço delimitado, que não tem relação com a paisagem circundante e não objetiva este diálogo (durante o Renascimento o diálogo entre os jardins e a paisagem circundante era importante). Sublinhe-se o dizer: onde cultivam, portanto, obra humana por excelência. Ao vocábulo jardim, a partir do Renascimento e sucessivamente, foram acrescidas qualificações como botânico, científico, zoológico, de inverno, público, de palacetes e solares, entre outros.

Para o pesquisador inglês Peter Goodchild jardim é um recinto fechado especial, onde se pratica a horticultura ou a jardinagem, e onde as plantas são cultivadas, quer para fornecerem alimentos, quer para prazer, ou ainda para fins domésticos, recreativos, científicos, médicos, culturais, sociais, religiosos ou outros.

Imagem: Pieter Brueghel, the Younger (ca. 1564–1636). Tela: Primavera

Texto da tese: “O desenho da história no traço da paisagem“.

2 Responses to Jardins – vocábulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*